Arte-Cidade, 1994

Ano de Projeto: 1994

Ano de conclusão da obra: 1994

Matadouro da Vila Mariana

Materiais: Tela soldada Morlan, comprimento linear sem cortes 98,65 cm, malha 2,50 cm x 5,00 cm, fio 3,70 mm.

 

 

Arquitetura: Anne Marie Sumner

Equipe: Arqs. Alexandre Serrano, André Aaltonen,  Luciana Flores Martins

 

 

Obra: Eng. Raul Luna

Patrocínio: Telas Morlan

Agradecimentos: Alberto Tassinari

 

 

A cidade sem janelas foi o primeiro evento da série Arte e Cidade em São Paulo organizado por Nelson Brissac Peixoto. Contou com a participação de 16 artistas entre, escultores, pintores, escritores, atores, bailarinos, performers, músicos e arquitetos que não só realizaram  e expuseram seus trabalhos como discutiram entre si no processo de  realizá-los. No trabalho das Telas a reflexão se dá a partir do solo como topografia – substrato inelutável da arquitetura. Seis telas longitudinais, dez anteparos transversais na rampa do matadouro. O piso se eleva em rampa e cai em talude. O percurso é volitivo ou acidental. A apreensão, dissolvida qualquer objetualidade, é em situação. Ascendendo de topo, o nível de 1.90m define a trajetória do olho e do corpo; a visada do alto com as telas rasas é quase desenho, marcação do solo. Lateralmente, sobreposição translúcida, fica a extensão aplastrada do trabalho. As telas distendidas aderem à topografia.